Entenda como funciona a carta crédito para o processo de exportação

carta de crédito exportação como funciona
6 minutos para ler

Com o aumento das negociações internacionais, muitas empresas têm a oportunidade de conhecer algumas normas e procedimentos específicos do comércio exterior, como é o caso da carta de crédito para exportação. 

Se você já ouviu falar, mas ainda não entende bem como esse procedimento funciona, continue a leitura até o final! Principalmente se você pensa, em algum momento, iniciar suas negociações no mercado internacional

Podemos começar? Não esqueça de tomar nota das informações e dicas que separamos a seguir.

Afinal, o que é carta de crédito para exportação? 

Toda empresa que exporta algum tipo de carga ou serviço precisa garantir o pagamento das transações comerciais junto ao exportador responsável. Dentre as principais formas legais e seguras para tal existe a chamada carta de crédito. 

Esse documento especifica algumas informações essenciais sobre a negociação, como o valor da transação, a descrição do bem ou do serviço negociado, assim como os dados das empresas envolvidas, intermediadas e orientadas por bancos escolhidos por ambas as partes

No entanto, é importante ressaltar que cada empresa em seu respectivo país precisa procurar uma instituição financeira que atenda a todas as expectativas para as negociações. 

De forma resumida, podemos dizer que a carta de crédito para exportação funciona como um compromisso de pagamento da transação internacional, garantindo à parte exportadora que, ao cumprir os quesitos especificados no documento, receberá o valor negociado com o importador. 

Quais as vantagens de uma carta de crédito para exportação? 

Conforme explicamos, a carta de crédito é um documento essencial nas negociações internacionais que visa assegurar o pagamento das transações entre as empresas. Sendo assim, como primeira vantagem desse procedimento, podemos destacar que ele fornece aos envolvidos uma salvaguarda em relação aos valores negociados. 

Tudo isso se torna possível ao envolver instituições financeiras que seguem um padrão único de processos documentados e orientados pela Câmara Internacional de Comércio (ICC) — instituição responsável por elaborar as normas internacionais para esse procedimento de pagamento. 

Além disso, a carta de crédito também traz vantagens e seguranças ao importador, tendo em vista que fica assegurado e registrado o pagamento e a conclusão da negociação do produto ou serviço, o que lhe garante o direito de recebê-lo conforme as negociações. 

Como funciona o pagamento por carta de crédito para exportação? 

Os valores negociados entre ambas as partes serão pagos por um banco emitente da carta de crédito, escolhido pelo importador e em seu país de origem, por meio de uma outra instituição financeira, localizada no país do exportador. Esses valores podem ser depositados à vista ou a prazo.  

Para entender melhor as diferenças, confira a seguir: 

  • à vista: o exportador vai receber o pagamento de forma imediata, desde que ele apresente ao banco avisador em seu país todos os documentos exigidos na carta de crédito; 
  • a prazo: nesse caso, o exportador vai receber um título de crédito, conhecido como letra de câmbio ou LC, que será descontada mais à frente.  

Nessa segunda opção, é importante ressaltar também o seguinte passo a passo: primeiro, o investidor realiza um empréstimo ao banco (a empresa intermediária entre o banco emitente e o avisador). Depois, o mesmo investidor receberá uma remuneração dessa instituição financeira, que deve ser utilizada para pagamento da negociação com o exportador.  

Por fim, vale destacar que essa operação envolve taxas e juros, de acordo com a tabela vigente do banco emitente responsável. 

Quando a carta de crédito para exportação deve ser solicitada? 

Em toda negociação internacional, especialmente aquelas entre importadores e exportadores que não se conhecem bem ainda, a carta de crédito, sem dúvidas, se encaixa como o procedimento mais adequado e seguro para a realização dos pagamentos

Afinal, se trata de um dos instrumentos que asseguram a transferência internacional de valores, garantindo a legalidade da transação e a segurança das partes envolvidas. 

No entanto, mesmo que você esteja com toda a documentação para validar o seu pedido de uma carta de crédito para exportação, é fundamental ficar atento a uma outra questão importante: o banco emitente só analisará o documento em si, ou seja, não se responsabilizando por qualquer tipo de fiscalização em relação a mercadoria armazenada. 

Sendo assim, é recomendado que o importador contrate uma empresa de inspeção na origem, justamente para evitar problemas e garantir a devida fiscalização da mercadoria. 

Esse procedimento deve ser devidamente documentado ao exportador e apresentado ao banco, para que valide a veracidade da carga para comprador. Isso ajuda a resguardar o recebimento, garantindo que as informações documentadas na carta de crédito estejam de acordo com o que foi negociado. 

Quais são as condições para obter uma carta de crédito para exportação? 

Para que a sua empresa peça a abertura de uma carta de crédito para exportação, você, no papel de importador, deve comprovar ao banco emitente que está apto a arcar com todas as responsabilidades financeiras dessa negociação. Além disso, é muito indicado que as empresas envolvidas conheçam a fundo os termos e condições especificados no documento. 

Do lado da parte exportadora, a empresa deve conferir as instruções indicadas pelo comprador, pois somente com os termos e condições especificadas na carta de crédito que o banco emitente liberará o valor combinado. Caso haja erros ou diferenças nas informações especificadas, há riscos de atrasos ou até de não liberação do montante por parte do banco responsável. 

Em resumo, essas são algumas dicas e informações úteis sobre o uso de uma carta de crédito como forma de pagamento legal e segura para negociações internacionais. Ainda que esse tipo de procedimento garanta uma segurança para ambas as partes, é fundamental que todas as etapas e processos sejam realizadas com conhecimento e sem erros. 

Para isso, é recomendado sempre buscar assessorias especializadas que, além de otimizarem a parte burocrática e operacional de seus negócios, ainda possibilitam agilizar, economizar e melhorar muitas etapas de suas compras e vendas internacionais. 

Gostou do post? Quer mais dicas sobre comércio exterior e como garantir negociações seguras e legais? Então, não deixe de conferir também nosso próximo post e saiba como calcular os impostos de importação no Brasil. Boa leitura! 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-