Entenda as principais diferenças entre exportação direta e indireta

exportação direta e indireta
6 minutos para ler

Empresas que atuam ou desejam atuar no comércio internacional devem conhecer bem as modalidades de exportação direta e indireta, para identificar qual opção é a melhor para seu negócio. Diante da competitividade do mercado e da complexidade logística e operacional envolvida nos processos, é essencial investir em planejamento e estratégia.

Com diferentes perfis, esses modelos apresentam características específicas, que precisam ser consideradas pelos gestores. Para ajudar você a compreender como cada modalidade de exportação funciona, vamos falar sobre o tema e abordar pontos relevantes. Continue a leitura e acompanhe!

Diferenças entre exportação direta e indireta

Entender as diferenças entre a exportação direta e indireta é importante, pois somente com conhecimento consistente é possível decidir qual a melhor opção para a sua empresa. A seguir, separamos alguns pontos centrais que devem ser considerados pelo gestor.

Existência de intermediário

A principal diferença entre exportação direta e a indireta é que, no primeiro caso, todo o processo de exportação é feito pela própria empresa, sem o auxílio de intermediários. Na prática, isso significa que a responsabilidade, desde a fabricação até o embarque aduaneiro, é totalmente da empresa exportadora.

Já na exportação indireta, o processo é feito de forma terceirizada, podendo ser realizado por empresas especializadas, tranding companies ou consórcios de exportadores.

Estrutura

A exportação indireta exige que a empresa tenha uma estrutura capaz de dar suporte e otimizar todas as etapas e processos, sejam eles de fabricação, sejam de adequação à legislação, armazenamento, transporte e embarque, entre outros.

Já na exportação indireta, a execução dos trabalhos é realizada pela empresa contratada, cabendo ao exportador o acompanhamento dos processos. Na hora de optar por uma empresa, valorize a experiência e a confiança.

Experiência

A experiência da equipe é outro ponto que precisa ser observado na hora de decidir pela exportação direta e indireta. Empresas que fazem o processo diretamente precisam contar com um quadro profissional especializado e com amplo histórico no mercado.

Na exportação indireta, por sua vez, o gestor não vai precisar manter o especialista entre os seus colaboradores, pois a empresa terceira é que vai se responsabilizar pelo acompanhamento de cada etapa. Ainda assim, é fundamental contar com profissionais experientes e competentes.

Conhecimento sobre legislação aduaneira

O conhecimento da legislação aduaneira é indispensável para empresas que atuem com comércio internacional. Diante da complexidade do tema e das exigências legais envolvidas no processo, é preciso considerar se a empresa tem condições de realizar os procedimentos conforme as determinações legais.

É importante estar atento ao cumprimento rigoroso da legislação, a fim de evitar erros ou problemas que resultem em prejuízos financeiros e complicações junto aos órgãos responsáveis.

Aporte de recursos

A questão financeira é um fator importante a ser considerado, uma vez que é preciso um investimento maior inicial, no caso da importação direta. Para empresas que estejam no início, o mais indicado é ter um bom planejamento financeiro e atuar com organização e controle das finanças.

O planejamento financeiro deve considerar a real condição da empresa e estabelecer metas alcançáveis. Um estudo detalhado do setor e da concorrência ajuda a ter um diagnóstico preciso e condizente com a estratégia do negócio.

O direcionamento correto dos recursos é um diferencial que garante a otimização das atividades e a prevenção de perdas e desperdícios. Com realismo e uma equipe capacitada, é possível obter bons resultados.

Vantagens e desvantagens da exportação direta

A principal vantagem da exportação direta é o fortalecimento internacional da marca no setor do comércio exterior. Uma atuação consistente rende um marketing positivo para a empresa que, por sua vez, conquista credibilidade e liderança.

Por outro lado, para executar os procedimentos e burocracias por completo, é necessário um alto investimento inicial em capital humano e estrutural, assim como conhecimento e experiência maiores. Dessa forma, a exportação direta é mais viável para empresas que já atuem há um tempo e tenham equipe qualificada para execução dos serviços.

Vantagens e desvantagens da exportação indireta

A exportação indireta, por sua vez, tem custos menores, uma vez que a execução dos processos será terceirizada. Essa opção é mais viável para empresas que estejam no início de suas atividades de exportação ou que ainda não tenham grande experiência.

Entre as desvantagens, porém, está a falta de construção do nome internacional da marca, uma vez que será um terceiro que vai desenvolver o processo de exportação. Para que a empresa não seja prejudicada, o ideal é ter um planejamento estratégico e optar por parceiros comerciais que estejam de acordo com os objetivos do negócio.

Como escolher a modalidade mais indicada para sua empresa

Como vimos, existem vantagens e desvantagens tanto na exportação direta quanto na indireta. Sendo assim, o ideal é avaliar a melhor opção com clareza e com base em estudos dos cenários atuais e futuros.

Não existe uma receita pronta e, por isso, o indicado é analisar a realidade da empresa e seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Lembre-se de que um bom planejamento de riscos também é fundamental, assim como o apoio necessário para executar cada etapa conforme o planejado.

No geral, a exportação indireta é a melhor opção para empresas que ainda não tenham ampla experiência, uma vez que é preciso estratégia e profundo conhecimento de mercado.

A Pibernat atua há mais 30 anos no segmento, oferecendo serviços logísticos como transporte nacional e internacional, integrador logístico, projeto e Ex-Tarifário, Siscoserv, desembaraço aduaneiro de importação e exportação, assessoria aduaneira e jurídica, entre outros. Com equipe altamente qualificada e credibilidade conquistada ao longo dos anos, atende a cada cliente de acordo com suas necessidades.

Agora que você já sabe quais são as principais diferenças entre exportação direta e indireta, pode definir qual modalidade é mais vantajosa para a sua empresa e melhorar os resultados com segurança. Lembre-se sempre de contar com a ajuda de profissionais qualificados e eficientes.

Gostou do artigo? Então, entre em contato conosco e um dos nossos consultores terá prazer em ajudar você a potencializar o desempenho da sua empresa.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-