Exportação: o que é e o que eu preciso saber sobre o assunto?

exportação
6 minutos para ler

Atuar com exportação é um ótimo negócio para empresas que desejam expandir suas atividades e melhorar os resultados financeiros. Porém, para ser bem-sucedido nas ações, é preciso conhecimento dos processos, burocracias e exigências envolvidas, a fim de evitar erros e, consequentemente, prejuízos financeiros.

De modo simplificado, podemos dizer que exportar significa comercializar produtos e/ou serviços no mercado internacional. As empresas podem atuar tanto no mercado interno e externo, simultaneamente, quanto somente fora do país.

Existem diversas questões envolvidas nessa modalidade e, por isso, preparamos este conteúdo, em que vamos abordar pontos relevantes, que vão ajudar você a melhorar os resultados da sua empresa exportadora. Continue a leitura e acompanhe.

Qual é a diferença entre importação e exportação?

A diferença básica entre importação e exportação é que o primeiro caso corresponde à compra de mercadorias, serviços e produtos com origem fora do Brasil. A segunda é o contrário, ou seja, a venda de produtos produzidos nacionalmente para o mercado externo.

A relação entre o que é importado e exportado é um importante indicativo da economia, uma vez que oferece informações sobre a capacidade de competitividade do Brasil no comércio internacional.

Para atuar tanto com importação quanto com exportação, é preciso que o gestor tenha amplo conhecimento dos processos e defina um planejamento seguro e estratégico. Diante da competitividade do mercado interno e externo, deve-se ter visão estratégica para se consolidar.

Quais são os tipos de exportação?

Existem tipos diferentes de exportação, com características que devem ser de conhecimento do gestor que atue com comércio exterior. Confira, a seguir, os principais pontos de cada modalidade.

Exportação direta

Na exportação direta, a própria empresa produtora é a responsável pelo controle de todo o processo de exportação, desde negociação, venda, transporte, embarque e entrega da mercadoria diretamente com o importador.

Como existem muitos trâmites burocráticos envolvidos, assim como legislação específica, a exportação direta exige amplo conhecimento e experiência no setor, tanto em relação às questões logísticas quanto referentes à legislação, tarifas, taxas e regras.

Exportação indireta

Na exportação indireta, por sua vez, a responsabilidade pelo processo não é da empresa que produz a mercadoria, mas de quem compra para revender no mercado externo. Nesse caso, empresas terceiras negociam e compram a mercadoria e, posteriormente, realizam a venda acrescida à margem de lucro.

Como exportar?

Para exportar, a empresa precisa se cadastrar junto à Receita Federal e obter autorização para esse tipo de atividade comercial. Esse processo é feito pelo Radar (Registro de Habilitação no Ambiente de Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros). O cadastro é realizado junto à Receita Federal, via Portal Único através do certificado digital do responsável legal da empresa de forma prática e segura.

Quais são as melhores práticas na exportação?

A exportação pode representar um diferencial importante para sua empresa. Porém, antes de começar as operações, é fundamental adotar algumas práticas que vão ajudar a ter sucesso em sua atuação. Confira, a seguir, algumas delas.

Tenha um planejamento

O primeiro passo para realizar bons negócios na exportação é ter um planejamento bem definido e alinhado aos objetivos da empresa. Sendo assim, é preciso desenvolver um estudo interno e alinhar às atividades do negócio de acordo com as exigências do mercado internacional.

Conheça as exigências legais

É fundamental ter conhecimento não somente da legislação brasileira, como também do país importador, a fim de evitar erros que podem atrasar ou mesmo impossibilitar a entrega da mercadoria.

Estar habilitado no radar perante a Receita Federal é uma das premissas para exportar. Também é essencial conhecer e providenciar a documentação exigida e o pagamento de taxas, tributos, tarifas e demais responsabilidades envolvidas na exportação. Entre os principais documentos, estão:

  • documentos referentes ao contrato de exportação;
  • carta de crédito em que esteja a intenção de compra por parte do importador;
  • contrato e letra de câmbio;
  • Fatura Comercial com especificações sobre os produtos, valores, INCOTERM, origem, destino e dados das empresas envolvidas;
  • Packing List;
  • Nota Fiscal de Exportação;

Dê atenção à logística

A logística é uma etapa fundamental na exportação, uma vez que o transporte da mercadoria será feito internacionalmente. Sendo assim, é preciso executar o trabalho integrado, que coordene as etapas e otimize os processos. Nesse sentido, contar com um profissional que atue como integrador logístico ganha destaque e garante o cumprimento do acordo estabelecido entre as partes envolvidas.

Quais erros devem ser evitados na exportação?

Na exportação, falhas ou erros são sinônimos de problemas e prejuízos. Por isso, é preciso ter um bom planejamento de riscos e se informar completamente antes de começar a atuar no mercado externo. Entre os principais erros cometidos na exportação, que devem ser evitados, estão:

  • falta de planejamento e conhecimento do mercado;
  • logística e embalagens do produtos inadequadas;
  • ineficiência na comunicação;
  • falta de cumprimento das normas exigidas;
  • negociação errada com fornecedores.

Como adotar uma estratégia consistente de exportação?

Para adotar uma estratégia de exportação bem estruturada, é preciso conhecimento e adequação às exigências nacionais e do país de destino da mercadoria. O auxílio de uma equipe qualificada e experiente é determinante para coordenar as atividades e ajustar imprevistos, caso eles ocorram.

A competitividade do mercado não permite espaço para erros. Sendo assim, empresas menores e mais novas devem considerar a execução por especialistas, que garantam credibilidade e compromisso.

Na hora de escolher com qual parceiro trabalhar, fatores como credibilidade e tempo de mercado devem ser pontos centrais, assim como a capacidade de atendimento às necessidades da sua empresa.

Com uma gestão consciente do potencial da empresa, é possível definir metas alcançáveis e consolidar a marca no mercado a partir de uma atuação séria e competente e de valores pautados em boas práticas comerciais.

Agora que você já sabe o que é, como funciona e qual a importância da exportação, pode definir um planejamento aliado com os objetivos da sua empresa e potencializar os resultados. Lembre-se sempre de dar atenção a todas as exigências legais e burocráticas, a fim de evitar problemas que resultem em prejuízos financeiros.

Gostou do conteúdo? Então, deixe um comentário, sugestão ou dúvida e teremos prazer em saber a sua opinião e responder, sempre que for necessário.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-