Quais as vantagens e como fazer a importação de matéria-prima?

importação de matéria prima
6 minutos para ler

Apesar das altas recentes do dólar, a importação de matéria-prima estrangeira ainda é uma alternativa vantajosa para muitas empresas e indústrias no Brasil. Afinal, em muitos casos, tais insumos podem ter qualidade superior aos nacionais, maior competitividade em relação a preço de compra, ou mesmo, pode não haver substitutos no mercado brasileiro. 

Além disso, importar matéria-prima, assim como produtos acabados, tornou-se cada vez mais viável e automatizado no Brasil, devido aos novos processos de desburocratização e modernização dos sistemas fiscais.

Preparamos um post exclusivo sobre importação de matéria-prima, os passos essenciais para essa prática, além de dicas fundamentais para fazer negócios lucrativos com fornecedores lá fora. Vamos conferir? 

Por que trazer matéria-prima do exterior? 

Como destacamos, ainda que a moeda estadunidense tenha sofrido forte valorização frente ao Real nos últimos meses, em muitos casos, ainda compensa recorrer à importação de matéria-prima no exterior do que buscá-la no território nacional.

Além disso, vale destacar que esse mesmo fenômeno econômico permite aumentar as exportações brasileiras. Consequentemente, cresce o risco de desequilíbrios no abastecimento interno, como temos visto no caso do arroz, da soja, da carne, entre outros inúmeros produtos.

Em outras palavras, quando há falta de insumos no país, naturalmente, os preços internos também tendem a subir. Em alguns casos, vale mais comprar de fora do que de fornecedores nacionais.

Sendo assim, a importação de matéria-prima deve sempre ser vista como uma alternativa para a empresa, seja por questões de necessidade, seja por razões estratégicas. A seguir, destacamos alguns dos fatores que podem influenciar essa decisão. Confira!

Possibilidade de preços mais baixos

O primeiro fator levado em consideração na importação de matérias-primas é a possibilidade de preços melhores lá fora, em especial, de países asiáticos, como China, Vietnã etc. Em geral, na conversão do dólar, esses lugares costumam apresentar valores muito mais competitivos e com capacidades de produção em alta escala.

Dependendo do insumo negociado, torna-se mais barato e até mais rápido do que em uma transação interna. Por isso, como dica, compare sempre esse custo-benefício, não se esqueça de considerar taxas e impostos de importação e avalie a agilidade das operações.

Mais competitividade

Outra questão importante sobre a importação de matéria-prima é a competitividade que esses insumos podem agregar ao seu produto final. Afinal, muito além do custo de compra, em diversos casos, a qualidade dos materiais e das tecnologias utilizadas lá fora pode ser superior aos nossos, o que tende a valorizar ainda mais sua marca e produtos.

Falta de insumos no mercado interno

Como resumimos, a variação cambial também afeta as exportações brasileiras. Quando isso ocorre de forma desequilibrada, pode acarretar em falta de insumos para o consumo interno, consequentemente, impactando o preço e a disponibilidade no mercado. Muitas vezes, isso aponta para a necessidade de importação de matérias-primas. 

Como realizar a importação de matéria-prima no Brasil? 

Entendidas as principais dicas que destacamos no tópico anterior, é hora de saber como o processo de importação de matéria-prima funciona na prática em nosso país. Para isso, separamos, a seguir, um passo a passo básico de como sua empresa deve proceder nessa operação. Confira!

Conheça o fornecedor

O primeiro passo para a importação de matéria-prima é saber com quem está negociando. Em geral, esse processo se dá de forma online, por meio do próprio site ou e-mail do fornecedor.

A ideia, aqui, é apenas dar atenção a procedimentos básicos de uma negociação, conferindo por exemplo, as referências da empresa, avaliando a capacidade de distribuição dos insumos, a qualidade do atendimento e dos produtos, entre outros pontos.

Esteja certificado para importar 

No Brasil, importações acima de US$3 mil seguem um procedimento burocrático especial. O primeiro passo é obter uma certificação legal para esse tipo de operação. Em outras palavras, sua empresa precisa estar devidamente constituída e legalizada para realizar essas transações internacionais.

Basicamente, é necessário que o seu CNPJ esteja em situação regular e que seja incluída a atividade de importação e exportação no objeto social. No próprio site da Receita Federal é possível conferir o comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral da empresa.

Habilite-se no Siscomex

O Siscomex é o Sistema Integrado de Comércio Exterior e é o principal instrumento tecnológico com o qual o governo controla e fiscaliza as transações internacionais das empresas. É uma ferramenta completa e avançada, que permite registrar todo o fluxo de informações e dados da transação, centralizando todos os documentos em um único canal. 

Com a sua empresa devidamente constituída para realizar importação de matéria-prima, será preciso solicitar uma habilitação no sistema junto à Receita Federal e passar a registrar todos os trâmites durante as operações realizadas.

Faça cotações e defina a NCM

Para definir a NCM, é preciso pedir ao fornecedor a cotação da matéria-prima e suas respectivas informações para um pedido mínimo. O NCM contém 8 dígitos e consta na Fatura Comercial emitida pelo exportador.

Tanto o Siscomex quanto a Receita disponibilizam simuladores para tratamento tributário das importações de matéria-prima. Neles, é possível checar (com base no NCM) quais as alíquotas dos impostos incidentes em sua operação, assim como o preço do frete, seguros, taxas etc.

Verifique a necessidade de LI

Algumas importações de matéria-prima podem requerer LI (Licença de Importação). Para isso, basta consultar o simulador administrativo do Siscomex, onde também é possível conferir os órgãos fiscalizadores responsáveis pela anuência.

Como otimizar todos esses processos com segurança e praticidade? 

Sem dúvidas, a importação de matéria-prima pode agregar vantagens muito competitivas ao seu negócio. Além disso, a automatização dos processos permite transações muito mais seguras e ágeis.

No entanto, assim como qualquer outra operação de Comércio Exterior, qualquer falha ou falta de estratégia pode acarretar em atrasos, apreensões e, até mesmo, em prejuízos incalculáveis. 

Sendo assim, a melhor forma de garantir a eficiência e o sucesso de suas importações é contar com uma assessoria especializada, que se responsabilizará desde as questões burocráticas até as operações logísticas de seus pedidos, com base em conhecimento técnico e tecnologia.

Com isso, se sua empresa busca simplificar a importação de matéria-prima com segurança e confiabilidade, não deixe de conversar com um de nossos especialistas e conheça as soluções exclusivas da Pibernat.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-