[Infográfico] O que é importação e tudo o que você deve saber sobre o assunto

importação
6 minutos para ler

No comércio internacional, a importação corresponde à modalidade de negociação em que determinada empresa ou pessoa adquire bens ou serviços oriundos de outros países. Existem diferentes tipos de importação, assim como regras e exigências legais que devem ser observadas na hora de comprar do mercado externo.

Saber como funciona a importação e quais são as vantagens de adquirir produtos e insumos fora do país é muito importante para obter melhores preços e aumentar o potencial de ganho do seu negócio. Porém, também existem os custos, que precisam ser considerados e calculados corretamente.

Para ajudar você a entender melhor o assunto, neste artigo, vamos falar sobre pontos importantes da importação, que devem ser considerados pelos gestores na hora de optar por comprar produtos fora do país. Convidamos você a continuar a leitura e acompanhar!

Quais são os tipos de importação?

Importador corresponde à pessoa física ou jurídica que execute a entrada de mercadorias estrangeiras no país. Entender quais são as características dos tipos de exportação é essencial para empresas. Confira, a seguir, quais são eles e como funcionam.

Importação direta

É a modalidade em que a operacionalização do processo de importação é feita pela própria empresa. Qualquer negócio pode atuar com importação direta, desde que tenha conhecimento e esteja habilitado junto à Receita Federal. Entre as principais vantagens da importação direta estão o maior controle do processo e a flexibilidade.

Já entre os desafios está a necessidade de uma estrutura ampla, grande investimento e alinhamento feito por profissionais experientes e especializados, a fim de evitar erros e prejuízos.

Importação indireta

Diferentemente da importação direta, no tipo indireto, o processo de compra do bem ou serviço é realizado por uma empresa intermediária com atuação em logística. Essa modalidade apresenta vantagens como otimização, centralização das operações no integrador logístico, economia com estrutura e equipe experiente e com conhecimento do processo, evitando erros e perdas.

Na hora de definir uma empresa, é indicado optar por quem tenha experiência e credibilidade no mercado, e que ofereça serviços alinhados com o planejamento de seu negócio.

Importação por encomenda

Na importação por encomenda, uma empresa terceira adquire o bem ou serviço no exterior, realiza o processo de nacionalização e faz a revenda no mercado interno. A vantagem, nesse caso, é que todos os processos burocráticos serão realizados pela empresa importadora, porém, os custos são mais altos.

Importação por conta e ordem

Nessa modalidade de importação a empresa importadora presta serviço para outra empresa, a adquirinte, em seu nome e promove o despacho aduaneiro de mercadorias adquiridas. Desta forma é estabelecido um contrato em que fica determinada que a adquirinte é mandatária da importação, que é realizada de modo terceirizado pela importadora de conta e ordem.

Quais são os pilares da importação?

Para ter sucesso ao atuar com importação, existem pilares que sustentam as atividades e precisam ser observados com rigor por parte do gestor. Confira, a seguir, quais são eles.

Diagnóstico Administrativo

É a etapa inicial, em que é feito o levantamento de questões como classificação fiscal, licenças obrigatórias, registro de cargas, etapas envolvidas, entre outros pontos centrais definidos antes das transações comerciais.

Planejamento Logístico

É o momento em que o embarque e o transporte são organizados, seja diretamente pela empresa, seja pelo integrador logístico. É uma fase fundamental para a garantia de sucesso na execução do serviço.

Monitoramento Operacional

Corresponde ao acompanhamento das etapas envolvidas na importação. Nessa fase, todas as etapas planejadas anteriormente são executadas de acordo com a estratégia definida.

Execução Operacional

É a etapa final, em que a mercadoria é conferida e as obrigações alfandegárias são realizadas para liberação da carga no menor tempo possível.

Como funciona a habilitação no Radar para importação?

A habilitação Radar (Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros) é obrigatória para atividades comerciais de importação no Brasil. O cadastro é feito junto à Receita Federal, via portal Portal Único através do certificado digital do responsável da empresa de forma prática e segura.

A digitalização simplificou significativamente os processos ao centralizar as informações e organizá-las.

Como funciona a nota fiscal de importação?

A nota fiscal é o documento que comprova a nacionalização do produto, sendo obrigatória, portanto, antes de a mercadoria ir para o estoque da empresa compradora.

Na nota fiscal, são informados os tributos pagos, como:

  • Imposto de Importação (II);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Quais são os impostos para importação?

Além do valor do produto, frete e transporte, também é preciso dar atenção à carga tributária exigida nas atividades de importação, sendo que ela varia de acordo com o estado em que a mercadoria é comercializada. Entre os principais tributos cobrados estão:

  • Imposto de importação (II): tributo federal incidente sobre mercadorias com origem estrangeira comercializadas no Brasil;
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): imposto federal incidente sobre todos os produtos industrializados comercializados no Brasil. Na maioria dos casos, o cálculo é feito com base no valor do produto;
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS): imposto estadual que varia conforme o local de comercialização da mercadoria;
  • PIS: imposto federal com incidência de 2,10% para a maioria dos produtos;
  • Cofins: imposto federal com incidência que pode chegar a 16,48%, de acordo com o produto.

Quais são as principais responsabilidades do importador?

A empresa importadora apresenta diversas responsabilidades que devem ser respeitadas para evitar problemas legais e, consequentemente, prejuízos. As normas internacionais são chamadas de Incoterms, que determinam obrigações referentes ao ponto de partida, ao transporte e aos custos, entre outros pontos.

É preciso ter domínio de todas as regras da exportação para garantir a compra e entrega da mercadoria corretamente e de acordo com os prazos estabelecidos. Para isso, é necessário um planejamento consistente, assim como o gerenciamento de riscos, que organize um plano de ações a ser executado caso seja necessário.

Agora que você já sabe como a importação funciona, suas modalidades, impostos e exigências fiscais envolvidas, pode traçar um planejamento consistente e obter bons resultados. É importante reforçar a necessidade de se fazer parceria com uma empresa especializada para evitar transtornos e riscos durante o processo de importação.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite e veja a importância de um gerenciamento de risco bem executado na importação.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-