[Infográfico] Logística 4.0: quais os impactos e como se adaptar?

logística 4.0
6 minutos para ler

Com a evolução acelerada da tecnologia, é comum — e essencial — que os processos corporativos sejam revistos e aprimorados, incorporando ferramentas mais ágeis e enxutas para maximizar os resultados operacionais. A logística 4.0 é, sem dúvida, um bom exemplo disso: a partir de recursos mais alinhados às demandas do mercado, é possível agregar valor aos serviços estratégicos de distribuição.

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o assunto. Primeiro, detalharemos o conceito, desde o seu surgimento, traçando um panorama completo da jornada. Em seguida, abordaremos os principais desafios da logística 4.0, ajudando você a identificar eventuais gargalos no seu próprio negócio.

Por fim, discutiremos as oportunidades: você saberá qual é a melhor forma de se adaptar às mudanças endossadas pela logística 4.0. De quebra, entenderá como a tecnologia pode tornar sua empresa mais eficiente e produtiva.

Preparado? Boa leitura e bons insights!

O que é e como funciona a logística 4.0?

O termo logística 4.0 é relativamente recente e, de forma geral, foi criado para descrever uma série de mudanças na dinâmica da cadeia de suprimentos. O contexto é bastante atual: com os avanços da tecnologia, organizações dos mais diversos portes e segmentos precisaram se adaptar à volatilidade e à competitividade do cenário.

Na prática, o objetivo da logística 4.0 é implementar processos disruptivos, baseados em recursos inovadores, para impulsionar o crescimento do negócio. A alta disponibilidade de dados — também conhecida como Big Data — e a inteligência artificial, por exemplo, viabilizaram a aplicação de estratégias capazes de otimizar as atividades logísticas em todos os seus pontos de contato.

As ferramentas inerentes à logística 4.0 permitem que haja mais integração, conectividade e independência nas etapas estratégicas. Enquanto o controle eficaz dos lotes armazenados minimiza os riscos de depreciação excessiva, o monitoramento das frotas assegura o máximo potencial dos veículos envolvidos e garante que as rotas permaneçam coerentes ao planejamento inicial — evitando imprevistos e prejuízos.

Ainda que o conceito seja novo, os impactos são inevitáveis e os benefícios das melhores práticas já foram comprovados por milhares de gestores focados em alta performance. A logística 4.0 é a nova realidade do mercado e vale a pena conhecer os desdobramentos, a fim de se preparar para as mudanças. E mais: ganha quem sai à frente!

Quais são os principais impactos da logística 4.0?

Em termos gerais, a logística 4.0 é o reflexo de um mercado cada vez mais digital e conectado. As estruturas de automação são, portanto, uma resposta às demandas por otimização de recursos — sejam eles físicos, sejam financeiros ou humanos— e por produtividade, uma combinação certeira para gerar resultados perenes. Confira alguns dos principais benefícios!

Agilidade

Quando você opta por automatizar os processos logísticos, um dos ganhos mais imediatos diz respeito à agilidade da operação. Rotinas que antes demoravam horas para ser concluídas podem, com o auxílio robusto da tecnologia, ser executadas com a mesma qualidade em questão de minutos.

Economia

Há algo comum entre os gestores logísticos: a redução de perdas e desperdícios, bastante recorrente em empresas de todos os portes, faz os olhos brilharem. Todo líder deseja que, na última linha, o balanço indique que o fluxo de trabalho está saudável, além de positivo. A tecnologia associada à logística 4.0 — como a inteligência artificial e a internet das coisas — favorece a economia efetiva de recursos, conferindo mais previsibilidade às operações.

Segurança

A segurança é essencial ao crescimento corporativo — e igualmente fundamental na eficiência da logística. É preciso, por exemplo, afirmar a disponibilidade de matéria-prima, a fim de sustentar o planejamento da fábrica, e construir rotas adequadas às entregas dentro do prazo combinado, evitando insatisfações com os clientes. Previsibilidade tem tudo a ver com segurança e, por isso, deve ser uma preocupação estratégica entre os gestores da área.

Como se adaptar às principais mudanças da logística 4.0?

Não se trata de uma escolha, mas de uma urgência: as empresas que não se adaptarem à dinâmica da logística 4.0 se tornarão ineficientes, além de obsoletas. O risco de deixar de existir é grande — e já está batendo à porta. Certifique-se de implementar as melhores práticas de gestão!

Revise processos e planeje mudanças

Não basta reconhecer a importância de atualizar processos e, ao mesmo tempo, ignorar as etapas necessárias à transformação. Qualquer avanço, para que seja implementado corretamente, exige uma boa dose de planejamento.

No que tange à logística 4.0, o esforço começa na reavaliação de fluxos e na identificação de possíveis gargalos. A partir disso, o plano de modernização deve envolver objetivos, metas, táticas e recursos, de forma a garantir o alinhamento entre todos os envolvidos.

Capacite os colaboradores

Processos mais rápidos e conectados são importantes, mas não se esqueça de que, na maioria das vezes, as máquinas são operadas por pessoas. Treinar seus funcionários é imprescindível para o sucesso de uma estratégia de logística 4.0.

A melhor forma de fazer isso é elaborar um cronograma contínuo de capacitação, explorando temas práticos, atuais e pertinentes à adaptação. Investir em comunicação aberta, nesse caso, também é vital — e garante que a mensagem certa continue chegando às pessoas certas.

Abuse da tecnologia

Por fim, o uso da tecnologia está intimamente ligado à implantação correta das diretrizes da logística 4.0. O software de gestão, por exemplo, precisa integrar os processos da área e assegurar total controle sobre os indicadores operacionais.

Além disso, desde que acoplada ao ERP, a inteligência artificial pode ajudar na priorização de saídas — de acordo com as características de cada lote descrito no inventário — e na roteirização de entregas, extraindo o máximo potencial de cada recurso.

A essa altura, não seria exagero afirmar que a tecnologia é a alma da logística 4.0. Sem mecanismos eficientes de automatização e controle, fica difícil potencializar a competitividade que o mercado, agora alçado a um novo nível de conectividade, exige. Não se esqueça: as mudanças são, a partir de agora, a única certeza. Prepare-se!

O conteúdo fez você repensar processos e criar novos cenários? Ótimo! O primeiro passo é, sem dúvida, identificar as lacunas na sua operação. Aproveite, agora, para entender como a integração logística pode maximizar a competitividade do negócio, alavancando os retornos em curto, médio e longo prazo.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-