O que é e como garantir compliance em operações logísticas?

o que é compliance
6 minutos para ler

Você sabe o que é compliance? Apesar de o termo ser significativamente novo, ele já vem sendo bastante usado em discussões e artigos corporativos. Muito mais do que uma tendência, mostra-se como uma necessidade e diferencial das atividades das empresas, o que inclui as operações logísticas.

De uma forma geral, compliance vem do verbo inglês to comply, que significa agir conforme as regras ou determinados padrões já pré-estabelecidos. Se você quer saber um pouco mais sobre esse conceito e como ele pode ser aplicado dentro do setor de logística, então, continue conosco.

Leia o post até o final e não deixe de tomar nota das informações que trouxemos.

Afinal, o que é compliance?

Esse conceito engloba todas as políticas, normas, regras e controles internos e externos a que uma organização precisa se adequar. Dessa forma, as atividades exercidas estarão em plena conformidade com a normatização e legislação aplicadas aos seus processos.

Tanto as empresas como as pessoas que trabalham nela e para ela, incluindo os fornecedores, precisam seguir e se basear no que os organismos reguladores estipulam como regras.

Além disso, a empresa e seus colaboradores devem cumprir com os instrumentos normativos internos. Só assim, a companhia pode dizer que está em compliance ambiental, financeiro, de segurança, trabalhista, fiscal, operacional, contábil etc.

Qual a importância do compliance nas operações logísticas?

Sabemos que o setor de logística, em geral, envolve muitas burocracias e operações complexas. Quando se trata de exportações e importações, esses fatores aumentam consideravelmente. Conhecer e dominar bem as regras e normas desse mercado, certamente, impactará o desempenho e a eficiência dos processos.

Ou seja, estar em compliance é dizer que há uma transparência e um grau de maturidade na gestão. Isso permite que a empresa desempenhe suas operações de acordo com o que é estabelecido pelos organismos reguladores.

Por outro lado, as organizações que não sabem o que é compliance e não buscam se adequar, correm riscos desnecessários, podendo acarretar prejuízos financeiros, atrasos nos processos, falhas e perda de clientes e de posicionamento de mercado.

Como aplicar o compliance em operações logísticas?

É importante ressaltar que não há receitas prontas para garantir que a empresa esteja em compliance. Afinal, se trata de um esforço coletivo, do mercado de atuação e do desempenho da gestão.

Apesar disso, podemos dizer que algumas etapas básicas podem servir como base geral e devem ser seguidas pelas empresas que desejam otimizar seus processos logísticos. Confira abaixo!

Identificação de riscos

O primeiro passo para deixar suas operações logísticas em compliance é por meio da identificação dos riscos do negócio. Ou seja, quando a empresa não trabalha com uma padronização ou não aplica nenhum tipo de normas e políticas, a tendência é que os riscos aumentem.

Sendo assim, é muito importante levantar dados e fatos e elaborar um fluxo de todos os processos, identificar os principais pontos críticos e estabelecer quais procedimentos seriam mais adequados para reduzir as possíveis falhas e tentar chegar a um padrão comum. Uma boa dica para isso é a criação das próprias normas e políticas internas, que devem ser amplamente divulgadas e praticadas no dia a dia.

Observe os principais gargalos, crie KPIs, estude os resultados que as melhorias poderiam impactar e tome as decisões no momento certo. Feito isso, padronize aquele processo em seu formato ideal e acompanhe os resultados disso.

Planos de prevenção

Depois de identificar os riscos, estudar as causas e buscar a solução ideal, é hora de prevenir e evitar que os gargalos e falhas tornem a acontecer. É imprescindível que, logo após uma mudança ser implementada e uma norma ser estabelecida, os colaboradores tenham o devido conhecimento e comecem a se adequar a elas.

O mais importante é que isso faça parte de um plano de prevenção da empresa, visando sempre melhorias e reduzindo, ao máximo, as possibilidades de erros nos processos.

Monitoração

Fazer o plano de prevenção não significa nunca mais ter problemas, falhas ou erros nos processos logísticos. Aliás, a prevenção pode sanar alguns gargalos e, ao mesmo tempo, fazer surgir novos em outros pontos. Por esse motivo, é fundamental manter uma monitoração contínua e frequente de todas as etapas da operação.

Afinal, será que todas as normas estabelecidas continuam sendo cumpridas e gerando resultados? Será que é preciso ajustar alguns pontos, adaptar outros e, até mesmo, reorganizar tudo? Estar em compliance é uma estratégia contínua e que pode suscitar mudanças a todo tempo.

Uma dica para realizar esse acompanhamento das mudanças e do cumprimento das regras é realizar auditorias, reuniões, gerar relatórios e buscar informações com os próprios colaboradores.

Resolução das falhas

Esse é o momento no qual é preciso atuar corretivamente sobre as diferenças identificadas. É provável que seja necessário corrigir alguns dos processos, reorganizar tarefas, eliminar algumas atividades e revisar as normativas estipuladas para o negócio.

Para isso se tornar possível, é fundamental que a empresa esteja aberta a mudanças, acompanhe as tendências do mercado, esteja atenta às novas leis e adequações legais e, principalmente, contar com uma gestão ágil e prática. As decisões devem ser tomadas assim que notar a necessidade de mudar ou se adequar.

Essas foram as nossas dicas e orientações sobre o que é compliance, a sua importância e os passos básicos de como implementar o conceito dentro de uma empresa. Vale lembrar que estar em compliance não significa, simplesmente, seguir regras e normas estabelecidas. É preciso enxergar isso como uma estratégia de diferenciação e de melhorias dos processos logísticos, que podem garantir maior produtividade, reduzir os custos, melhorar os níveis de atendimento e, claro, gerar mais lucratividade para o negócio.

Por fim, esse cenário de compliance ser torna ainda mais possível quando sua empresa terceiriza a logística com um integrador de capacidade técnica, operacional e gerencial para realizar todas as suas operações com agilidade e conhecimento.

Gostou do nosso post? Quer mais algumas dicas importantes sobre terceirização das operações e como isso ajuda a melhorar o desempenho de sua empresa? Então, não deixe de ler nosso artigo sobre como um integrador logístico possibilita a redução de custos em um negócio. Boa leitura!

Powered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-